sexta-feira, 23 de julho de 2010

Este estabelecimento fez um ano e agradece a preferência a todos os estimados clientes e amigos






Já não sei onde é que eu li que isto de começar a ler e a escrever em blogues nos ensina a humildade. Foi num blogue, é claro. O seu autor, se me está a ler, que se acuse. Se não está, então paciência. Mas continuando: essa humildade é-nos servida pelo facto de compreendermos rapidamente que há por aí imensa gente a escrever mais e melhor do que nós. Isto reduz-nos, na pior das hipóteses, à nossa insignificância e, na melhor, à nossa normalidade.
Os blogues vieram permitir que qualquer um possa publicar – tornar público - o que escreve. Isto foi uma enorme revolução. E como sempre nas revoluções, tudo o que é porcaria veio ao de cima. Mas, também como nas revoluções, apareceu igualmente muita gente boa. Um pouco surpreendentemente, até:  gente a escrever bem e com ideias. Alguma dessa gente ronda mesmo o génio. Onde estavam eles? Concluí que afinal, não era só eu. E que nem sequer sou o melhor. Se calhar, nem sequer sou bom. Vendo bem, provavelmente até nem presto para nada. 
Ao chegar a este ponto, tinha duas hipóteses: ou cortar uma veia, ou procurar atingir a serenidade. Escolhi a segunda, sem demasiada angústia. Ao contrário do que possa julgar-se, a constatação do inesperado talento dos outros descansa-me muito, porque me retira dos ombros uma grande responsabilidade e ao mesmo tempo prova que afinal existe vida inteligente no Universo.
Percebi que aqui podemos fazer literalmente tudo, desde que seja minimamente bem feito.  Hoje vivo em paz com este meu cantinho, do qual espero muito, e delicio-me com os cantinhos de outros, dos quais espero outro tanto. Há campos a que só timidamente me arrojo, como a política e o futebol, matérias que tenho visto tratadas de forma tão fascinante que chegam a parecer interessantes. Na verdade, acho que  me arrojo sobretudo à vontade de mostrar coisas por palavras ou imagens, sejam elas quais forem. E de assim eu próprio as ver ou rever. Por isso chamei a isto "Janelas." Faz um ano que entrei nisto, e vou continuar por aqui.

Agora vou passar uns dias de férias ainda nem sei bem onde, de modo que vão vendo o pôr-do-sol que nesta data festiva eu ofereço para se entreterem. Salvo erro, é o 3 252 764º da história da fotografia. Mas é giro.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Sabe bem ir ao estrangeiro e encontrar coisas cá da nossa terra

Oura, Algarve
(Mesmo misturadas com coisas turcas. Mas a gente sabe que lá fora fazem sempre imensa confusão, turcos, portugueses, gregos, marroquinos, sei lá, é tudo a mesma gente giríssima, távere?)
Adenda: Entretanto mudei a foto, que esta dá assim um aspecto mais geral da coisa.

domingo, 18 de julho de 2010